Blog

Baleias franca se despedem do litoral de Santa Catarina na temporada 2017 de reprodução 

Posted by:

Press-release: Baleias franca se despedem do litoral de Santa Catarina na
temporada 2017 de reprodução

Com as últimas avistagens realizadas nesta semana, a temporada foi um pouco
mais extensa que no ano passado

Divulgado em: 03/novembro/2017

A temporada de baleias franca no litoral sul do Brasil está chegando ao final. Nas últimas semanas o número de avistagens foi diminuindo, e neste feriado (2) a passagem de uma fêmea com filhote por Itapirubá que fez a alegria dos moradores e foi registrada pela equipe do Projeto Baleia Franca/Instituto Australis, pode ter sido a última avistagem da temporada. O ano de 2017 iniciou dentro da média de ocorrência da espécie no sul do Brasil, com as primeiras avistagens realizadas ainda em junho, em Itapirubá, na Praia do Rosa (Imbituba, SC) e mais ao sul, em Passo de Torres (SC). No entanto a maioria das baleias começou a chegar em julho. O trabalho de monitoramento sistemático do PBF começou no início de julho, com observações a partir e pontos fixos em terra na região entre Imbituba e Laguna. “Este monitoramento é realizado desde 1998 pelo PBF, quando iniciei minhas pesquisas de Mestrado e Doutorado, e tem por objetivo levantar informações sobre a ocorrência, distribuição e comportamento das baleias nas enseadas da APA da Baleia Franca”, explica a Dra. Karina Groch, Diretora de Pesquisa do PBF. Ao longo de toda a temporada foram registrados no total 372 avistagens,
totalizando 653 baleias franca (incluindo recontagens), sendo a maioria pares de mãe e filhote. Segundo Karina, chamou a atenção a baixa ocorrência de baleias na enseada da Ibiraquera e Ribanceira, uma das principais enseadas de ocorrência da espécie na região. Nesta enseada, apenas em outubro houve uma grande frequência de baleias sendo registrados em alguns dias até 5 pares de mãe e filhote, diferente de outras temporadas, quando a ocorrência era ao longo de toda a temporada reprodutiva. Outubro foi também o mês de maior frequência de avistagens ao longo da temporada, diferente de outros anos, em que o pico de ocorrência foi setembro. Estes dados são
indicativo de mais uma temporada atípica. Karina ressalta ainda a importância do monitoramento sistemático desta e das outras enseadas da região, para entender a dinâmica de ocorrência da espécie. Através do monitoramento terrestre é possível tem um acompanhamento diário da
sazonalidade da ocorrência de baleias ao longo da temporada e ter o indicativo de quando as últimas baleias estão deixando a região, retornando para sua área de alimentação na região Antártica.
O Projeto Baleia Franca realiza monitoramento aéreo das baleias franca desde 1987. A população de baleias começou a demonstrar sinais de um rápido crescimento a partir de 2002, quando 124 baleias foram registradas em setembro. O número de baleias chegou a quase 200 em 2006 e 2011, porém ao
longo dos anos ocorreram flutuações, o que é natural da espécie, em função do intervalo reprodutivo tri-anual. Desde 2002 o PBF tem registrado uma média de 109 baleias no litoral centro-sul de Santa Catarina, a maioria de fêmeas acompanhadas dos filhotes recém-nascidos, que estão em fase da
amamentação. Nos últimos 3 anos o número máximo de baleias foi 60, em 2016. O primeiro sobrevoo da temporada 2017 realizado em 31 de julho registrou 29 baleias, e o segundo, realizado em setembro, registrou 49 baleias na região.
O número de baleias da temporada 2017 foi o menor registrado desde 2002. Desde 2015 tem sido observado um comportamento atípico de ocorrência das baleias franca no litoral sul do Brasil, possivelmente decorrente de anomalias climáticas que estão interferindo na disponibilidade de alimento
para as baleias franca na Antártida, e consequentemente no sucesso reprodutivo. Em uma publicação científica recente do Projeto Baleia Franca, na revista Scientific Reports, da Nature, foi constatado esta influência com reflexo na população de baleias que frequenta a costa brasileira, comenta a
Dra. Karina. Em 2017 o PBF completou 35 anos de atividades em prol da conservação das baleias franca. Karina acrescenta que a manutenção das pesquisas de longo prazo é fundamental para continuar avaliando a dinâmica populacional e os fatores que influenciam a ocorrência da espécie no litoral sul do Brasil.
O trabalho de monitoramento sistemático do PBF vai até o final de novembro, pois neste período ainda é possível registrar a passagem de alguma baleia franca pela região. Há 3 semanas uma fêmea com filhote foi avistada em Regência, no litoral do Espirito Santo, e a dupla pode estar migrando de
volta a Antártida. Outras avistagens também foram registradas no litoral sul da Bahia ao longo desta temporada, na mesma região que é área de ocorrência de baleias Jubarte. A região até o litoral sul da Bahia é área histórica de ocorrência das baleias franca, antes da caça que praticamente dizimou a
espécie no litoral brasileiro. Além do trabalho de pesquisa, o PBF realiza atividades de educação
ambiental, para sensibilização de moradores, estudantes, e do público que todos os anos vem para a região em busca da oportunidade de ver baleias. O turismo de observação de baleias a partir de embarcações está suspenso desde 2013, mas é possível fazer observação a partir de terra, já que as baleias franca tem habito costeiro no seu período reprodutivo, sendo de fácil visualização a partir da costa. O PBF não realiza passeios comerciais para observação de baleias, mas possui dois espaços de visitação em sua sede, o Centro Nacional de Conservação da Baleia Franca (CNCBF), localizado na praia de Itapirubá Norte (Imbituba, SC). O Centro de Visitantes do CNCBF é o único local da região que oferece informações permanentes sobre as baleias franca, com visitas guiadas e acompanhamento da equipe do PBF. A sede possui ainda um deck para observação de baleias, e a réplica de um filhote de baleia franca em tamanho natural. Em setembro o CNCBF ganhou uma pintura feita pelo artista plástico Alexandre Huber (Huber Arte Marinha) em sua fachada, em comemoração aos 35 anos da instituição. Além disso, o PBF inaugurou um novo espaço educativo, o Espaço Australis, onde está exposto o esqueleto de 14 metros de comprimento da baleia franca que encalhou em Itapirubá Sul em 2010. O CNCBF fica aberto à visitação o ano todo. No site www.baleiafrfanca.org.br e no facebook/projetobaleiafranca podem ser obtidos informações sobre horários de funcionamento, bem como sobre as atividades realizadas. Programa de voluntariado de verão O Projeto Baleia Franca está selecionando estudantes de Ciências Biológicas, Oceanografia, Medicina Veterinária, Pedagogia ou áreas afins para estágio na temporada de verão 2017/2018. O programa de voluntariado terá duração de aproximadamente 30 dias, iniciando na segunda semana de cada mês. Serão selecionados voluntários para os meses de dezembro de 2017 e janeiro e fevereiro de 2018. As principais atividades se concentrarão em Educação Ambiental. O voluntário realizará a recepção dos visitantes no Centro
Nacional de Conservação da Baleia Franca, participará e auxiliará na condução e elaboração das oficinas eco-educativas. Eventuais atendimentos para resgate de animais marinhos encalhados podem ocorrer e estão dentro das atividades acompanhadas pelos voluntários. As inscrições para a seleção de dezembro já estão abertas. A documentação necessária, formas de inscrição e mais informações estão disponíveis em www.baleiafranca.org.br.

0
  Postagens Relacionadas
  • No related posts found.

Add a Comment